Olhar para dentro: Como o Yoga mudou a minha vida – e pode mudar a sua.

Vivi muitos anos sendo uma pessoa estressada, ansiosa e irritada. Desde pequena eu era considerada ‘’pavio curto‘’. Na faculdade, meu apelido era Pití. Eu simplesmente não tinha paciência para as pessoas. Eu vivia com uma expressão séria, não conseguia relaxar.

Acredito que para todo mundo chega o momento da vida onde há duas opções para escolher:  mudar de vida ou permanecer na mesma. Ainda bem que eu decidi mudar.

Em 2013, com 20 anos, eu tinha acabado de voltar de uma viagem muito intensa no Egito. Costumo dizer que vivi uma outra vida em 3 meses, uma vida em um mundo paralelo.

Quando eu voltei para o Brasil, sentia que eu precisava mudar alguma coisa na minha vida. Eu precisava fazer alguma coisa pra relaxar, foi  aí que procurei o Yoga.

Eu não sabia absolutamente nada sobre Yoga. Nenhuma postura, nenhuma técnica, nenhum nome. Só sabia que era bom pra relaxar porque minha mãe falava isso sempre.

Encontrei um estúdio perto da minha casa em Bauru, e fui pra aula experimental.

Socorro! Meu corpo era muito inflexível, mas essa era a parte fácil comparando com os momentos de meditação, porque eu simplesmente não conseguia ficar com os olhos fechados e com as pernas paradas para meditar. Era muito difícil olhar pra dentro.

Uma das minhas primeiras fotos de Yoga: super desalinhada e feita com muito esforço.

Era tudo muito sofrido: dor nas costas, formigamento nas pernas, impaciência, mil pensamentos ao mesmo tempo. Além disso, tinha a questão da respiração. Eu descobri que não sabia como respirar direito.

Talvez por ser capricorniana, mas também por ter uma professora muito incrível, que tinha uma boa formação, que sabia estimular, a falar as coisas certas, que tinha uma voz suave e calma, eu não desisti. Pelo contrário, eu queria conseguir praticar sem sofrer tanto.

Eu comecei fazendo aula duas vezes por semana, mas todo dia eu tentava praticar em casa sozinha e isso fez toda a diferença, porque todo dia eu via os efeitos da prática bem visíveis.

Cada dia mais eu ficava com mais orgulho de mim. Além das melhorias físicas, eu me sentia mais leve emocionalmente. Eu percebi que toda aquela dificuldade que eu tinha antes em me concentrar, era o medo de olhar para mim mesma, afinal não era fácil encarar a realidade.

As pessoas começaram a notar que eu estava diferente. Antes as pessoas falavam para eu sorrir mais, depois do Yoga elas começaram a falar sobre a luz que eu emanava.

Com uma prática mais regular, meu corpo não era mais o maior obstáculo. Eu finalmente conseguia ter calma e focar o meu olhar pra dentro.

Mais obstáculos apareceram, percebi como a mente engana. Toda meditação era uma montanha russa de emoções, pensamentos. Finalmente, depois de um tempo, isso não me afetava tanto e eu comecei a perceber as sutilezas e segredos do meu Eu.

Defeitos, medos, mentiras. Olhar para dentro me colocava em contato com todo o meu lado mais negro. Eu percebi que eu teria que lidar com ele para poder ver a minha luz.

Foto depois de 6 anos de prática: alinhada, feita com calma e respirando fundo.

Me lembro até hoje do dia em que consegui entrar em um estado meditativo mais profundo pela primeira vez. É incrível quando temos o contato com o nosso Divino. É inexplicável estar em contato com a nossa própria essência de paz.

Em uma fração de segundo, em um lugar onde o tempo não corria com a lógica da racionalidade, me encontrei. A partir desse dia, foi uma nova fase na minha prática e na minha vida, mais uma vez o Yoga me permitiu mudar de vida.

Hoje, com quase 6 anos de prática e professora de Hatha Yoga e Yogaterapia, percebi como mudar de vida é possível.

Você também pode mudar a sua vida, e para isso acontecer, tenha em mente que você deve estar disposto a encarar o seu lado negro, porque sem ele, a luz não existiria. É aí que a mágica acontece!

Como você pode perceber, encarar a realidade é muito importante nessa jornada rumo à vida mais zen e transformar o seu dia a dia. Confie em mim, pode ser complicado no começo, mas vale muito a pena!


E você? Qual é a sua história com o Yoga? Me conta que eu quero muito saber!

Ah, se você achar que esse texto vai ser bom pra alguém, fique a vontade para compartilhar. 🙂 E não se esqueça de seguir o instagram @tentandoserzen_ 

Namaste,

Mila

2 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *